MATA-RATOS: TODA A VERDADE!!
  MATA-NEWS | BIO-RATOS | DISCO-RATOS | FOTOS 04/05 | FOTOS 82/91 | MATA-ARTE | DATAS | MATA-LOJA | MIMOS E INSULTOS | CONTACTO | LINK'S  


       

TODA A VERDADE!

 

WELLCOME TO 1982

“Wellcome to 1982” anuncia o mestre de cerimonias, bem vindos ao ano recheado de emocoes a flor da pele.

No plano internacional o exercito britanico humilha os generais argentinos ao sair vitorioso do combate Falkland vs. Malvinas, aos ressentidos “Argies” restar-lhes-a a vinganca, em forma de esferico traicoeiro, pela mao de Diego “El Pibe” Maradona. Sem aviso ou convite, Israel invade o Libano para  dar luta a malta tramada da OLP e sao recebidos do modo habitual: pedrada. A guerra “Irao-Iraque” esta ao rubro, qual noite de santos populares, Saddam Hussein,  Rei da Nova Babilonia, vai bebendo geladas garrafas de Mateus Rose, atirando muitos foguetes ao seu vizinho barbudo, apanhando as canas e testando uns quantos brinquedos “quimicos” no lombo das incautas populacoes; o Vietname retira do Camboja deixando num gesto carinhoso uns quantos milhares de minas para recordacao dos nativos; a Mafia assassina em Palermo o General Della Chiesa no seu modo unico de mostrar quem manda por ali; Leonid Brezhnev, velho urso sovietico, morre aos 75 anos sendo substituido pelo jovem Yuri V. Andropov, entao com 68 primaveras; uma clara tentativa do politburo em refrear o avanco da tentacao capitalista, iludindo as jovens comunistas com a beleza hedonista deste novo mocetao; na Alemanha a hora do poder para Helmut Kohl o Chanceler mais “cool” do momento e que criara um ninho de hemorroidas pelo longo tempo que passara sentado na cadeira dos nossos destinos; em Espanha os socialistas vencem as eleicoes e adere-se a NATO para poder voltar a brincar as guerras e mais tarde deixar uns quantos estropiados em locais paradisiacos como o Iraque ou a Bosnia. Libertado o lider sindical Lech “Bigodes” Walesa, um claro sinal de que o poder do Vodka ainda tem uma palavra a dizer no destino dos Polacos; o norte-americano John W. Hinckley Jr. dado como inocente por insanidade e falta de pontaria na sequencia da sua tentativa de assassinato do presidente Ronald “Shoot The Bastard” Reagan ; a OPEP baixa (!!) o preco do petroleo, sendo a primeira descida em 23 anos, dada a evolucao posterior, fica aqui uma boa historia para contar aos netinhos, estilo “eu ainda sou do tempo em que o preco do petroleo baixava”; e pela primeira vez implantado um coracao artificial permanente num ser humano condenando milhares a ter que aturar esta merda por mais uns anos; no mundo das estrelas Michael “Wacko Jacko” Jackson lanca o mega-blockbuster “Thriller” e da inicio a estranha mutacao que hoje tao bem conhecemos, o monstro devorador de criancinhas; nos ecrans estreiam estopadas sopori­feras do calibre de E.T., Tootsie, Gandhi e The Verdict; o grande mestre “avacalhador” John “Party Animal” Belushi apaga-se de vez por overdose aos 33 anos deixando orfaos uma legiao de filhos da devassidao. O Punk, esse fenomeno urbano que ja entao queriam dar como morto e enterrado, fervilha em actividade subversiva. Toma de assalto o mundo, assume-se como forca underground e torna-se no principal veiculo  para dar voz a uma juventude inconformada. Um punhado de albuns nao conformistas atesta que em 1982 corria-lhe muito sangue nas veias: Discharge “Hear Nothing, See Nothing, Say Nothing”, Exploited “Troops Of Tomorrow”, Fear “The Record”, 4-Skins “The Good The Bad and The 4-Skins”, GBH “City Baby Attacked By Rats”, Gun Club “Fire Of Love”, Abrasive Wheels “When The Punks Go Marching In”, Adicts “Sound of Music”, Angelic Upstarts “Still From The Heart”, Blitz “Voice Of A Generation”, Chelsea ”Evacuate”, Circle Jerks “Wild In The Streets”, Anti Nowhere League “We Are The League”, Crass “Christ The Album”,  Lords Of The New Church “Lords Of The New Church”, Dead Kennedy’s “Plastic Surgery Disaster”, DOA “Positively DOA & War on 45” (7”s), Killing Joke “Revelations”, Lurkers “This Dirty Town”, Misfits “Walk Among Us”, UK Subs “Endangered Species”.        

     E 82 em Portugal?  Por ca vota-se a revisao constitucional, publica-se a sua lei e a da Defesa Nacional. Na assembleia o  cocar de colhao”  e a “palmadinha nas costas” sao o pao nosso de cada dia; os politicos ja entao trabalhavam em exclusivo para garantir uma reforma desafogada: a sua. Balsemao demite-se de primeiro-ministro e Freitas do Amaral da presidencia do CDS. Ha eleicoes autarquicas com subida do PS, apesar da vitoria da AD. Da-se a ultima reuniao do Conselho da Revolucao. As pessoas saem pra rua em Lisboa e Porto na “Marcha da Paz” procurando por travao na entrada de misseis nucleares em Portugal. A Pretogal, uma empresa nacional sempre preocupada com o bem estar dos portugueses e desenvolvimento de Portugal, e condenada pelo tribunal a pagar multa pelo lancamento de residuos e poluicao da costa maritima. A Greve geral promovida pela CGTP contra o pacote laboral, um claro sinal de que ja entao o pessoal estava farto de o Estado lhes ir ao pacote; os desacatos no Porto entre manifestantes da Intersindical e UGT provocam dois mortos, dando voz ao ditado: o trabalho mata. Da-se o atentado contra Joao Paulo II em Fatima, localidade portuguesa onde existe o bizarro habito de andar de joelhos. As FP25 ainda por ca andavam a colocar bombas e matar gestores. Populares descarregam energias negativas em fortes sessoes de porrada para os lados de Vizela. O ano fica marcado pela estreia da primeira telenovela portuguesa, Vila Faia, primeira de uma praga que nunca mais nos ira deixar... No mundo musical o boom do rock Portugues parece dar o seu canto de cisne. Um fenomeno fulgurante em que a morte do artista foi quase tao rapida como o seu nascimento e em que se foi deixando cair pelo curto caminho um grande numero de bandas e oferecendo como sua derradeira heranca umas boas centenas de singles ingenuos mas bem orelhudos que mostram a gana de querer fazer rock portugues. 82, o ano em que na radio bomba o “Cristina” dos Roquivarios, os NZZN atacam com o bem rockeiro album “Forte e Feio”, os Street Kids inovam com “Trauma”, os Iodo divagam no “Manicomio” os CTT aviam “Oito Encomendas...” bem chungosas. Ainda o ano em que nascem os MATA-RATOS.

 

O PARTO

No inicio havia apenas uma ideia que vinha a fervilhar como um virus desde finais de 81, mas somente em 82 se arrisca o premir do gatilho e se dispara o tiro de partida para uma banda que ainda hoje se recusa a morrer e que foi parida com  a crueza e urgencia que os tempos exigem: a vontade tremenda de se fazer ouvir, uma disposicao para fazer tanto ou mais do que as bandas que escutavam com avidez em programas radiofonicos levados ao ar por ilustres como Antonio Sergio e Luis Filipe Barros. O aborrecimento e a frustracao acumulavam-se e havia a extrema necessidade de deitar tudo para fora, forte e feio. A vontade tremenda de fazer barulho, de contestar o legal e o moralmente estabelecido, de se fundir na devastacao sonora aberta em inicios de 80 pelo boom do rock chunga portugues, estarao certamente na genese deste monstro de inconformismo a que chamamos MATA-RATOS. Quais filhos bastardos da Revolucao dos Cravos, reflectem na sua fase embrionaria a pura revolta e delinquencia de uma juventude atenta que ja nao aceita passivamente tudo o que lhe tentam vender. Jorge Leal (voz), Pedro Coelho (guitarra), Jorge Cristina (bateria) e Eduardo Pinela encarnam o despertar do sonho Punk nos suburbios de Lisboa. Temos banda. Nascem os mui infames MATA-RATOS.  

 

OS PRIMEIROS ACORDES

Violas de caixa e caixas de sapatos, panelas e tachos servem como tubo de ensaio. Cedo se recorre as salas de ensaio da vizinha Lisboa para dar os primeiros toques a seria e por meio de trabalho arduo e outros recursos mais sinuosos vao conseguindo aos poucos arranjar os instrumentos e amplificadores que lhes permitirao o assalto aos palcos e  dar o toque de finados na pacatez do bairro suburbano onde residem (a vila de Oeiras). Procuraram desde logo inspiracao no energico e cru Punk Britanico e Americano de finais de 70 e inicio dos 80 que escutavam avidamente em programas como o “Rock em Stock”, “Rolls Rock” ou “Som da Frente” ou mesmo nos poucos discos que eram por ca editados e nos outros que os mais sortudos traziam das suas visitas fora de portas. Ramones, Killing Joke, Blitz, Dead Kennedys, Adicts, Black Flag, Sham 69, Anti-Pasti e tantas outras mais sem nunca esquecer as influencias tipicamente Lusas que tao malcriadamente se insinuam nesta banda: Vitor Espadinha, Jose Cid, o Duo Ouro Negro, Artur Goncalves, e o irresistivel, o sensacional, o fantastico Ze das Broncas e os Sexuais.

 

OS NOSSOS HEROIS

Quem eram este bando de retar...perguntarao? No seio da conspiracao estavam 3 residentes do mesmo bairro de Oeiras: Jorge “Morte-Lenta” Leal com a sua garganta afiada e caracter provocatorio, inimigo publico numero um do sistema de ensino, Jorge Cristina sempre a esfumar nuvens de vapor por tras da bateria e Pedro Coelho atacando forte e feio na guitarra. Rapidamente se lhes junta um Punk de Lisboa que da pelo nome de Eduardo Pinela e passam-lhe o baixo para as maos.

 

O PRIMEIRO ASSALTO SONORO

O primeiro Concerto acontece em Dezembro de 82 na Escola de Belas Artes de Lisboa ao lado de bandas como SETIMA LEGIAO, CROIX SAINT e URB. Um verdadeiro sucesso ja que a banda foi expulsa de palco pela primeirissima vez, acabando o concerto com um amigo da banda no telhado a mijar sobre alguns incautos, levando a consequente intervencao policial, prisao e fuga. Os concertos seguintes nao sao mais pacificos e chega-se ao limite de nem sequer deixarem a banda subir ao palco.

 

OS COMPANHEIROS DE VIAGEM

Os MATA-RATOS nao se encontram sozinhos na Cruzada Nacional pela implementacao do Punk Rock cantado em portugues. Dos suburbios comecam a surgir vagas de sociopatas juvenis que fazem bandas e adoptam nomes apocalipticos como DELINQUENTES, CRISE TOTAL, KU-DE-JUDAS, REBENTA CALHAUS, CAGALHOES , GRITO FINAL e ROBERTO LEAL O PUNK DAS FAVELAS (o nosso GG ALLIN). Este nucleo duro constitui a segunda vaga do Punk Portugues. Uma primeira vaga fora protagonizada por bandas como os FAISCAS, AQUI DEL ROCK, MINAS E ARMADILHAS e XUTOS & PONTAPES, que mergulham na novidade do punk mas para pouco depois o deixar cair para trilhar novos rumos.  Em 1982 o Punk era feito por jovens para o qual o punk  se tornou acima de tudo um modo de vida.

 

SAI E ENTRA ENTRA E SAI

Rapidamente a banda sofre a sua primeira baixa. Em meados de 83, Pinela parte em busca de novos sons e ingressa nos BANDO BRANCO. Entravamos em finais de 83 e aos colegas DELINQUENTES rouba-se o ToJo para se ocupar do baixo. Aproveitando a embalagem pira-se tambem o Morte Lenta ja em 84. Para berrar que nem um desalmado, recrutam de imediato Miguel Newton um vizinho de Oeiras que ja os seguia desde o primeiro concerto. Longe ainda a perspectiva de poder vir a gravar os MATA-RATOS vao angariando, nos raros mas intensos concertos, uma crescente legiao de seguidores que - tal como a banda - em breve se farao notar.

 

A TEIA

Conjuntamente com estas e outras bandas “alternativas”, decidem a partir de 84 organizar os seus proprios concertos na TEIA, sala situada na rua da Junqueira la pros lados de Belem. Fizeram-se 6 concertos na sala ate acabar a festa em 86. Por a passaram para alem de MATA-RATOS: GRITO FINAL, CRISE TOTAL, KU DE JUDAS, MORITURI, PLUNDER GUNS, JOVEM GUARDA, LINHA GERAL, FRAKTURADOS, NAPALM CLIMAX, CRUISE e YOUNGSTERS.

 

A TRAVESSIA DO DESERTO

Enterrados nas garagens e obscuras salas de ensaios os MATA-RATOS  fazem a travessia do deserto, a via sacra das bandas de garagem. A TEIA da o peido final em 86, por estupidez resultante de actos de quem nao sabe aguentar a bebida, a historia do costume.  Banidos sucessivamente de outros locais, a banda tem poucas hipoteses de mostrar a todos aquilo que vale (ou seja, NADA!). De 86 a 88 a banda toca essencialmente na zona de Lisboa em salas como o  RRV, Palmeiras, Bar Oceano. So em 1988 se faz a primeira investida ao Porto.  Tojo na sua incessante busca filosofica deixa a banda em 88 para se dedicar por inteiro aos estudos. Para o seu lugar vem da outra margem do Tejo, o Cascao.

 

KILITO’S e GELEIA

Com ele entram ainda para o seio da banda, o Colossal Rui “Killito” Oliveira, o braco direito e a terceira perna da banda: manager, condutor, pai, mae, cao, guarda costas, e, sobretudo, um amigo; e o Geleia mais conhecido pela “Goela Humana” que engolia litradas de vinho de um so golo e que as vomitava logo de seguida. Dois verdadeiros pesos pesados. Estava constituida a primeira road crew de Mata-Ratos.

 

O BAR OCEANO

O BAR OCEANO foi o inesquecivel local que se torna quase uma segunda casa para alguns membros de MATA-RATOS. Comecava-se no bairro e acabava-se sempre no Oceano. Toca-se, encontram-se amores, fazem-se e desfazem-se amizades, muitos copos e brigas. De 89 a 90  a passagem pelo palco do bar era regular.

 

DOS CARECAS QUE ELAS GOSTAM MAIS

Por um acaso do destino tres quartos da  banda tinham o habito de rapar o cabelo dando asso a que a opiniao publica os condenasse como autores do maior crime do seculo: a calvicie precoce. Outros jovens rapados e perturbados sociopatas, muitos migrados do punk, seguem a banda manifestando-se de forma aparatosa nos concertos realizados em salas como o Rock Rendez Vous e outras que nao vem a ebria memoria.  A caminhada dos MATA-RATOS foi marcada pelo nascimento, crescimento e posteriores desenvolvimentos do movimento skinhead em Portugal.

 

RODA DOS MILHOES, BOA NOITE!

A grande hipotese da banda mostrar os seus dotes na manipulacao das massas surge em 1989 com o VI Concursos de Musica Moderna do RRV. Conseguem arrastar dos suburbios ate a sala bandos de jovens desordeiros sedentos de sensacoes fortes e de juntar a sua voz a uma banda com a qual se pudessem identificar. Rendido o publico nao se consegue convencer um juri que procurava navegar por aguas menos revoltas. Mesmo assim consegue-se a promessa de um single por parte da Dansa do Som.  O projecto acabou por nao ganhar pernas para andar.

 

VALENTE CARALHO

A banda lanca nesse mesmo ano uma Demo profissional de 500 unidades que foi colocada a venda na Bi-Motor e muito depressa desaparece; em conjunto com a divulgacao obtida com o concurso do RRV nos mais diversos pasquins nacionais como A Capital, Jornal do Incrivel, Crime, Exito e Folha Regional de Tondela aguca-se o apetite de uma grande editora multinacional. Frustrados, apos envio da demo as editoras independentes nacionais que de imediato as rejeitam como se de sarna se trata-se, os MR acabam por celebrar o pacto com o diabo.

 

ROCK RADIOACTIVO

Os MATA-RATOS acabam por lancar o seu primeiro album “ROCK RADIOACTIVO” em 1990.  A EMI, soube farejar um bom negocio e nao se enganou: o album chegou ao quinto lugar do Top Nacional e vendeu umas boas paletas em formato vinil, CD e k7. Ate se deram ao descaramento de por um autocolante com indicacao de linguagem explicita...Os temas rudes e crus - como “A minha Sogra Um Boi”, “Eu Tenho Um Pobre” e “CCM” - tornam-se hinos de rua para toda uma geracao sequiosa de uma banda com que se pudesse identificar e dizer: eu tambem posso fazer esta merda!

 

A GUERRA FRIA

Apos saida do album e alguns concertos conturbados nesse mesmo ano e envoltos em alguma violencia digna de registo, como o do Alto dos Moinhos, dao-se novas alteracoes devido a desentendimento diversos entre os quais quanto ao rumo e postura que a tomar deveria tomar dai para a frente. Da-se o desfecho com a saida do baterista fundador Jorge Cristina e do baixista Cascao. A segurar o barco ficam o Pedro Coelho e o Miguel Newton.

 

NEW KIDS ON THE BLOCK

De imediato se recruta o Miguel Cenoura de Almada para se ocupar do baixo e o Albertini da Amadora para a bateria e se deita maos a obra para se dar uns poucos concertos no ano de 91. Com esta formacao grava-se o video para o tema “A minha Sogra” que vai para o ar no programa Pop Off do Canal 2 da RTP e que foi de imediato banido apos sua unica e derradeira emissao. A Censura afinal ainda...Faz-se tambem a visita a Santiago de Compostela para a gravacao de alguns temas para o programa da TV Galega “Sitio Distinto”.  Miguel Cenoura deixa a banda nesse mesmo ano e para o baixo entra outro jovem moinante da Amadora, o Joao Brrrrrrrrr.

 

FIM RADIOACTIVO

Em finais de 91 grava-se uma demo com alguns temas que deverao fazer parte do segundo album, porem a EMI nao mostra qualquer interesse no material proposto. A situacao algo tensa leva a uma rescisao do contrato por mutuo acordo das partes. Boa noite e um queijo...

 

A NOVA TRAVESSIA DE UM DESERTO AINDA MAIOR...

Com dificuldades em conseguir tocar a banda acaba por dar apenas 2 concertos em 1992. A faccao Amadora, Albertini e Brrrrr, acaba por deixar a banda para abracar a fundo o seu outro projecto, os KA-SE-FAZEM.

 

EXPULSOS DO BAR

Sobreviventes por excelencia, so em 94 arranjam nova editora - a Drunk Records/Fast N Loud - que inicia a sua actividade com o lancamento lendario EP EXPULSOS DO BAR que rapidamente desaparece (posteriormente reeditado pelo selo alemao Street Beat, acabando por esgotar novamente). Os temas do EP sao nada mais nada menos do que a gravacao apresentada a EMI e recusada para  o segundo album.

 

ESTAS AQUI, ESTAS ALI!

Em 95, apos nova e breve passagem do Miguel Cenoura de novo no baixo, o lugar fica ocupado por Joao Moles e para a bateria chega Delfim, ambos de Linda-A-Velha. Com esta formacao e num processo um pouco conturbado gravam o segundo album de originais “Estas Aqui, Estas Ali!”  editado novamente pela Fast’N’Loud.

 

QUERO IR LA PARA FORA!

95 ano recheado de accao e bons momentos. Mais importante foi dar-se a oportunidade criada pela Fast’N’Loud de fazer uma Tour por Portugal e Alemanha junto a banda brasileira GAROTOS PODRES. Um verdadeiro sucesso e uma bebedeira alucinante durante 15 dias consecutivos. Na Tour aproveitam ainda para tocar com as bandas BRAINDANCE (UK) e OXYMORON (Alemanha).

 

THE POWER OF THE PRESS

Por esta altura ja os MATA-RATOS faziam figura de “persona non grata” junto de alguma imprensa mais pomposa incapaz de olhar para la dos seus proprios interesses, teimando em ignorar ostensivamente o obvio ou em so fazer referencia quando a confusao bate a porta como no concerto no Bar Palha de Aco no Porto em Novembro de 1995. Que se foda se tem publico ou nao, eles sao demasiado feios e parecidos com a realidade, assustam os mansos de espirito...

 

ESPALHAR A PALAVRA “INFAMIA” PELOS 4 CANTOS DO MUNDO

Alem da partilha de palco, dentro e fora de portas, com bandas de calibre internacional, desde cedo teimam tambem em marcar presenca nas mais variadas compilacoes internacionais, algo que continuam a praticar ate hoje agarrando as oportunidades que lhe sao oferecidas para espalhar pelos quatro cantos do mundo a infame mensagem dos MATA-RATOS. Tornando-se no processo uma das bandas rock nacionais com maior numero de presencas em edicoes fora de Portugal. Do Brasil a Franca, da Republica Checa a Espanha, da Alemanha aos EUA os MATA-RATOS estao la!!

 

96-97 MUITA ACCAO, MUITA CONFUSAO!

Em 96 sobem ao palco no primeiro Festival Super Rock em Faro ao lado de THE EXPLOITED (UK) e R.D.P. (Brasil),  HARUM, HATE OVER GROWN, RAMP, CRISE TOTAL e TARA PERDIDA. No ano seguinte voltam a Faro para o II FESTIVAL SUPER ROCK com NO FX, SOZIEDAD ALKOHOLICA, PUNKEKAS entre outros. Aproveitam ainda para dar um ar da sua graca no FESTIVAL FELIX ROCK VIGO 97 em Vigo, Galiza ao lado de SOZIEDAD ALKOHOLICA, TOY DOLLS, KOMANDO MORILES, DISMAL, CUJO, NO HAY MANERA, MESCOLANSA, MANOLO KABEZABOLO, BABES IN TOYLAND e BEERMOSH. Ainda lancam pela Fast’N’Loud o CD “XU-PA-KI 1982-1997”. Por esta altura comemora-se os 15 anos de existencia que sao festejados num concerto na Academia de Linda-A-Velha ao lado da banda skinhead galega RUI BOIS.

 

SENTE O ODIO

Em finais de 97 gravam novo album “Sente O Odio” - apos um percurso atribulado que culmina com o desaparecimento da Fast’ N ’Loud, obra que so em 99 ve a luz do dia, ja pela mao da novel ALARME! RECORDS.  A Fast’ N’ Loud vende, sem qualquer consulta previa a banda, a gravacao entretanto efectuada, a Alarme! Foi ja por via desta que se toma conhecimento do facto consumado. Colocada perante a perspectiva de um lancamento tardio ou de ver o album ficar arrumado para sempre na gaveta, a banda opta por nao reagir ao negocio e aceita o lancamento via Alarme!  “Sente o Odio” revela-se o seu album mais pesado e pessimista. Tambem o trabalho onde se faz sentir mais claramente a influencia dos sons mais pesados trazidos para o seio da banda pelos recentes membros provenientes da area do hardcore.

 

TO BE LEFT OUSIDE

Pouco tempo apos a gravacao do CD, Pedro Coelho, ultimo membro da formacao original, eterno guitarrista e principal compositor, ja desgastado com as constantes mudancas e nada receptivo a suportar mais uma inevitavel alteracao de line-up, sai por vontade propria para se dedicar em exclusivo ao seu outro projecto de estimacao, os ANTI CLOCKWISE, onde ja militava faz algum tempo lado a lado com outro antigo membro de MATA-RATOS, o Joao “Brrrrrrrr” e do companheiro de estrada, Rui Killito.

 

ARRUMAR AS BOTAS? ...OS TOMATES!!

Viciado na banda e sem companhia a nao ser a do Vieira, que se mostra disposto a manter-se firme na bateria, Miguel sente-se descontente e nao pretende dar o toque de finados a um projecto que sente ser tambem seu por direito, por se lhe ter entregue de alma e coracao ao longo das duas ultimas decadas. A conviccao em continuar adiante reforca-se por o Pedro ter dito para ele seguir em frente, se era essa a sua vontade. Miguel parte em busca de sangue fresco capaz de manter viva a chama da infamia. Velhos fans da banda tornam-se membros da mesma, em 1998 salta o Alex Bacala para o baixo e o Sarrufo para a guitarra.

 

O CRIME

Com esta nova formacao grava-se o EP “Crime” editado em 1999. Made In LV em alguns takes directos e captacao ultra rudimentar. Fica o mesmo com registo para a historia do som mais cru alguma vez passado pela banda para disco. Nos estudios STS gravam-se tambem 3 temas com atestada qualidade e que irao marcar presenca em diversas compilacoes internacionais: a re-gravacao do tema “Napalm na Rua Sesamo” que supera aos pontos o original constante no CD “Estas Aqui, Estas Ali!”, a captacao pela primeira vez do hino classico da classe operaria “Escravo do Sistema” e do novissimo “Putas Ao Poder” tema ja da autoria exclusiva da nova formacao. Ataca-se em Janeiro o Hard Club para abrir a casa na visita dos MADBALL. Um concerto recheado de emocoes fortes e violencia avulsa, mas desta feita sem responsabilidades a atribuir aos MATA-RATOS.

 

QUEM TOCOU O ALARME? TEM QUE PAGAR MULTA...

Na sequencia de uma entrevista ao zine ENTULHO INFORMATIVO aquece a relacao entre a banda e a Alarme! O editor sente-se ultrajado por ai se referir que o seu mui macho cao sushi japones era um miseravel caniche...dando lugar a polemica mais non sense em que a banda se viu envolvida. Adeus Alarme!

 

LOURES AFFAIR

Fevereiro de 1999. O concerto em Loures ao lado de OMITED GR e da banda skin galega DR. MARTENS BEAT (integrando dois dos membros dos Ruin Bois) volta a acender a velha chama das polemicas negativistas em torno da banda. O que se previa um concerto animado mas pacato transforma-se rapidamente num pesadelo. Antes de os MATA-RATOS subirem ao palco ja o concerto se tinha tornado num comicio extremista. Em cima de palco a situacao nao era a mais confortavel e houve quem teimasse em tocar com as costas viradas para o publico. Comecam as provocacoes, os “Sieg Heil” da praxe e tentativas de puxar o micro. Para o meio do concerto a coisa descamba apos uma troca de insultos entre Miguel e um membro do publico. Da-se a invasao do palco e cenas de pugilato em frente do mesmo. Lanca-se spray de gas de mostarda e os agressores acabam por bater em retirada. De resto sobejamente sabido: perseguicoes entre as partes pelas ruas de Loures, as cobardes punhaladas nas costas do baixista de Omited GR, os carros e os vidros partidos, as prisoes e as noticias no dia seguinte em todos os jornais e TV. Mais uma forte exposicao “merdiatica” para os MATA-RATOS.

 

RETALIATOR MATES!

Apesar de passado pouco tempo dos acidentes em Loures, nao se desiste do projecto, entao ja em avancado estado, de trazer a Lisboa e Porto os britanicos RETALIATOR. Mais uma banda com elementos skinhead pra variar...Fez-se a festa e nao houve lugar a arrependimentos, cobrindo-se na totalidade as despesas de deslocacao dos bifes a Portugal. Contudo nao deixou de se fazer sentir a retraccao na quantidade de publico visivelmente receoso de se ir divertir com receio de se darem novos acidentes como o de Loures. O mesmo motivo (O MEDO) que leva um forte contingente de publico lisboeta a distanciar-se dos concertos da banda em finais dos anos de 80, volta agora a fazer mossa e continua como o grande impeditivo para a presenca mais assidua da banda por palcos da capital. De qualquer modo 99 foi um ano marcante para todos.

 

O PUNK IMACULADO

O facto de se tocar com bandas integrando skins, agravado pelos recentes acidentes em Loures, leva a que no interior da banda a situacao se crispe rapida e gravemente ,e, que surjam, no seu seio os defensores de uma tomada de posicao clara face a temas como o fascismo, nazismo e outros “ismos”. Instala-se uma incomoda ansia de justificacao, de teor politicamente correcto e egoista que visa unicamente a tentativa, nao de “limpar” a mui abandalhada imagem da banda, mas sim de manter a imagem imaculada de um dos seus membros. Anda no decorrer de 99 o guitarrista deixa a banda alegando indisponibilidade de tempo.

 

VIEIRA E O BREAKDANCE

Entretanto para agravamento da situacao o Vieira lesiona-se ao tentar escapar a policia quanto procurava entrar a paleta no concerto de Metallica no Estadio Nacional. Este facto teve como consequencia ultima, dada a gravidade da lesao que encheu a perna do rapaz de ferros e parafusos, a paragem da banda por cerca de um ano. Tambem era necessario parar para respirar e pensar seriamente se valeria a pena continuar a lutar contra ventos e mares.

 

...MAIS UMA VEZ RUMO AO DESERTO...

Face a alguma falta de confianca do Viera na sua total recuperacao e medo de nao conseguir voltar a tocar bateria com a forca que lhe era anteriormente conhecida, apos uma quebra de 1 ano, deixa-se de se esperar por ele e parte-se na busca de novo sangue que leva-se os MATA-RATOS a novas conquistas.

 

MONGO 666 E BIDU O PUNK TORREJANO

O Bacala sempre agarrado ao Baixo mantem-se de pedra e cal ao lado de Miguel e partem na senda de novo batera e guitarrista. Para desenrascar as peles entra ja em 2000 o Tiago “666” Serio, entao baterista dos Capitao Fantasma e de um projecto paralelo onde tambem militava Miguel Newton, o Bando do Terror. Atraves de uma troca de mails com um fan, surge a baila o nome de PauloBidu” Rodrigues jovem ribatejano entao membro dos R.J.A. Apesar das fracas qualidades em termos de guitarra foi calorosamente acolhido dada a imensa vontade, juventude e disposicao manifestada para levar o circo avante.  Com esta formacao comecam de novo os concertos e grava-se pela primeira vez uma cover de outra banda para ser incluida em tributo internacional: o tema “A verdade por tras de tudo” (Drain) homenagem sentida aos reis do punk norte-americano POISON IDEA com cunho bem personalizado dos MATA-RATOS.

 

JORGE SERIGADO

Bidu traz para o nucleo da banda um seu amigo de Torres Novas, o Jorge Serigado que passa a desempenhar o papel de tecnico de som. Pela primeira vez na sua historia passam a fazer-se acompanhar regularmente de um tecnico.

 

ARLOCK DIAS, FENOMENO DO SABUGAL E PIRATA DO COA

Em 2001 a banda decide reforcar o seu poder com mais uma guitarra. Em conversa de copos no Bar Sao Servidos, propriedade da sua cara metade, Miguel  trava conhecimento com um jovem do Sabugal que se encontra a estudar em Lisboa, Tiago “Arlock” Dias de seu nome.  Ja desvirginado na pratica de fortes guitarradas e castanholas em refinadas bandas do calibre de uns Dinamite Kalgonite e de uns Bacanal Animal, Arlock encontra no seio dos MATA-RATOS a sua segunda familia.

 

CONCERTOS E MAIS CONCERTOS

A partir de 2001 comeca uma epoca de maior actividade em palco. Muitas datas de norte a sul do pais vao reavivando o interesse das hostes por uma banda que muitos acreditavam ja desaparecida e fazendo despertar NOVAS paixoes junto de audiencias mais jovens.

 

PIBES E MOINAS: ARGIES E MATA-RATOS

Nesse ano destacam-se as datas ao lado dos Argentinos ARGIES, gente bem disposta e que se revela em palcos portugueses como os verdadeiros herdeiros  latino-americanos dos combativos The Clash, e dos companheiros de outras guerras, Capitao Fantasma, com os quais compartilhavam agora baterista.

 

TOUR 2002

Em 2002 surge a intencao de fazer nova tour fora do pais.  Miguel Newton esfalfa-se para conseguir, via contactos pela net, uma serie de concertos em Espanha, Franca, Belgica e Alemanha. Com a tour gera-se algum stress por manifesta indisponibilidade e falta de vontade de alguns membros em partir numa viagem que anteriormente tinham mostrado muita vontade em fazer.  Dado o estado avancado da marcacao de datas da tour nao restou outra alternativa senao proceder a algumas alteracoes no line-up da banda; face a uma indecisao constante quanto ao facto de partir ou nao com a banda para outras paragens, sai de imediato o elo mais fraco, o baterista. Estudam-se varias formas para rapidamente se ultrapassar o problema criado cerca de um mes antes do inicio da tour. A solucao vem com a rotacao do Alex Bacala do baixo para a bateria; e a entrada em cena do inesquecivel Bibi Ramone, Rei da Lucha Libre Lusitana. A Tour segue em diante e efectuada em conjunto com a banda norte-americana THE SUSPECTS DC. Foi uma experiencia com muitos bons e alguns (poucos) maus momentos mas que deixou na banda a conviccao de que uma proxima tour deveria ser levada a cabo sozinha e nao com outra banda de cromos a pendura. Entretanto Paulo Rodrigues que na altura dividia as guitarras com o Arlock Dias por motivos laborais so consegue acompanhar as primeiras datas da tour em Portugal e Galiza tendo que regressar a base para penar no trabalho. Quando a banda retorna a Portugal anuncia o seu abandono por falta de disponibilidade e algum cansado. Assim se volta a velha formacao com apenas um guitarrista passando o Arlock Dias a desempenhar cada vez melhor o papel de guitarra solo.

 

DEUS PATRIA E FAMILIA, O PRIMEIRO NA RASTILHO

Em 2003 surgem os primeiros contactos entre o Pedro da Rastilho e os MATA-RATOS.  Nesta altura ja existia um compromisso verbal entre a banda e a Ataque Sonoro para a edicao de novo album inviabilizando que o mesmo viesse a sair sobre a chancela da Rastilho. De qualquer modo chega-se a acordo para a edicao de um EP “Deus, Patria e Familia” que deveria acompanhar a tour a realizar nesse mesmo ano.  Devido a um prazo de trabalho muito apertado o disco acaba por so sair apos o regresso da tour, mas foi recebido com algum entusiasmo pela critica e apontado como um inegavel sinal de vitalidade da banda e do muito que a mesma tinha ainda para dar ao panorama do Rock portugues.

 

TOUR 2003

2003 tal como 2002 revela-se ano excelente no que toca aos concertos. Os convites chovem levando a banda de norte a sul do pais. Animados partem em nova tour que os leva de novo a Alemanha com algumas razias a Belgica, Espanha, Galiza e Euskadi. Desta vez sozinhos na estrada mas sempre acompanhados em palco por bandas locais, os MATA-RATOS levam a festa rija para quebrar o gelo germanico.

 

O ADEUS BACALISTICO E BIBI BAZA PARA A TERRA DOS BIFES

Regressados de mais uma tour chega a vez de o Bacala dizer o adeus as armas. Um momento assumidamente dificil para todos. O que e certo e que fica a saudade do grande mestre do avacalho Sir Alex Bacala e a certeza de ter sido um dos membros que criativamente mais contribuiu para o desenvolvimento artistico da banda e integrou a 100% o espirito MATA-RATOS. De seguida a vez de Bibi Ramone partir para o Reino Unido na peugada do amor de sua vida. De novo o vazio se avizinha...

 

VIVI BANDERAS & LEMMY JACKSON: A NOVA GERACAO

Por esta altura e passado algum tempo sem grandes contactos, os caminhos de Miguel Newton e Ricardo Vieira voltam a cruzar-se por acaso do destino em 2003 e este ultimo mostra o seu genuino interesse em voltar as fileiras raticidas. O filho prodigo regressa assim para dar novo impeto na bateria.  Para o baixo entra logo de seguida Francisco “Lemmy Jackson” Esteves, conhecido da banda e primo do Arlock Dias.

 

ES UM HOMEM OU ES UM RATO?

Aquando do convite para a participacao no tributo aos Poison Idea a Ataque Sonoro mostra o seu interesse em ser a editora do futuro album de MATA-RATOS.  Chega-se a acordo e a gravacao tem lugar em inicio de 2004 nos estudios Floyd de Almada sob a supervisao de Nuno Loureiro. O line up que grava esta obra constitu√É∆’­do por: Ricardo Vieira na bateria; Miguel Newton na voz; Arlock Dias na guitarra e o inimitavel Lemmy Jackson no baixo.  Para a historia ficam balas do calibre de “Menina da Rua”, “Terrorista Urbano”, “No Meu Sonho era o Figo” e “Rei da Noite” que mostram a banda em plena forma.

 

NA ESTRADA

Nos ultimos 2 anos os MATA-RATOS tem levado a festa por esse Portugal afora, em romaria de demencia lusitana.  Destaca-se em 2004: O  I RASTILHO FEST,  O ROCKFESTIVAL BENQUERENCA, o FESTIVAL ACCAO DIRECTA (Terceira/Acores), o PESADELO ROCK 2004; as datas com os norte-americanos DUI; as passagem por Vila Franco, Faro, Viseu, Coimbra, Castelo Branco e a Festa de Lancamento de “Es Um Homem, ou es um Rato?” na Concha (Praia das Macas). Em 2005 tempo para a mini tour com THE PARKINSONS, de visitar o Porto Rio ao lado dos MOTORNOISE, de levar Cabanas de Tavira ao rubro e de dar um salto ao III Pinhal Punk para ajudar a fazer a festa.

 

BYE ARLOCK, WELLCOME NUNO

Em 2005 chega a vez de Arlock Dias deixar a banda. Acabados entretanto os estudos em Lisboa o mancebo ve-se forcado a encontrar trabalho no seu nativo Sabugal. Dada a distancia e o consequente cansaco chega a hora do adeus mas nao sem antes dar uns quanto concertos para fechar em beleza...

 

II RASTILHO FEST E A FESTA TRIBAL

24.04.2005. Grupo Desportivo da Martinganca.  Mete o  duplo CD ao vivo FESTA TRIBAL (Rastilho Records) a tocar e deixa-te embalar pela demencia do momento. Obrigado por la teres estado! Vemo-nos na estrada.

 

Os Mata-Ratos sao:

NUNO LOUREIRO - Guitarra;

MIGUEL NEWTON - Voz;

LEMMY JACKSON - Baixo;

RICARDO VIEIRA - Bateria.

 

 

DURANTE OS ULTIMOS 23 ANOS OS MATA-RATO tem partilhado o palco com uma mao cheia de bandas, entre as quais:

 

CANHOES DE GUERRA

FREEDOOM

LARKIN

PAYASOS DOPADOS

SEM CURA

JOINT KILLERS

MOTORNOISE

BLACKSUNRISE

THE PARKINSONS

SAMESUGAS

PESTE & SIDA

ASIDE

(THE) NO COUNTS D.O.M.

BARAFUNDA TOTAL

2 SACOS E ¬Ĺ

BRIGADA DO CAOS

TWELVE TO GO

MH2S

MOONSPELL

PUNKRIAS

FOOTPRINTS

MANIFESTO

RESPOSTA SIMPLES

DANCE DAMAGE

LICOR DE SESAMO

GREEN MACHINE

ALLISON BENTLEY

HEAVENWOOD

D.U.I.

HEADUNDER

REPLICA

AN-X-TASY

PUNK COM MANTEGA

NO TIME TO WASTE

THE TRAUMATICS

HEPATITE P

MINORIA ACTIVA

THE GANG BANG COWBOYS

THE TEMPLE

KICKBACK

JACK

TU METES NOJO

ERVAS DANINHAS

D.P.E.

ABANDALHADOS

FOR TOO LONG

DEMENTIA

MURYAN

O MEU TIO BILL

MINDLOCK

ANGER

COMME RESTUS

MORE THAN A THOUSAND

DES-KONTROLL

HELL BEER BOYS

 BRIGADA CRIMINAL

MANASTRA

AXIS OF EVIL

SECOND UNIT

PERKELE

ORDUS NECAT

THE BLAST OFFS

SHERRY SOLDIERS

SOCIAL COMBAT

HOLMGANG

PAINSTRUCK

NOT FOR SALE

TWENTYINCHBURIAL

SANNYASIN

SONIC FLOWER

SPITOUT.

CONTRATTAK

AS GOOD AS DEAD

BLOOD TO SHARE

PURA REPRESSAO

MORE THAN HATE

JUST

 ANGRIFF

HOLOCAUSTO CANIBAL

BACANAL ANIMAL

MIND YARD

AVULSED

DEMON DAGGER

DISKARGA ETILICA

ALIEN SQUAD

THE DISMAL

NECROSE

FREEDOOM

CAMPO MINADO

LOS FALTONES

THE SUSPECTS

THE SHOCKS

STORSHACK

NO MORE ROCK’N’ROLL BUSINESS

ARGIES

ACROMANIACOS

COLOUR BLIND

FULL SPIRIT

MUCKY MIND

UBER MANNIKINS

UGLY DUCKY

53-A

JESUS ON FIRE

DEAD PROJECT

R.J.A.

MADBALL

PRUNE

DR.MARTENS BEAT

OMITED GR

RETALIATOR

JESUS ON FIRE

LAST HOPE

NAMELESS

RELTIH

RUIN BOIS

NO FX

SOZIEDAD ALKOHOLICA

PUNKEKAS

TOY DOLLS

KOMANDO MORILES

DISMAL

CUJO

NO HAY MANERA

MESCOLANSA

MANOLO KABEZABOLO

BABES IN TOYLAND

BEERMOSH

METRALHAS

ANTI-CLOCKWISE,

BRUTAL ORGASMO

VERTIGO

CABRA CEGA

VICIUS CORRUPTOS

INDUSTRIAL METAL MACHINE

RATOS DE PORAO

EXPLOITED

HARUM

HATE OVER GROWN

RAMP

TARA PERDIDA

TEENAGE TOILETS

WILD YUNGS

OXYMORON

BRAINDANCE

GAROTOS PODRES

MUTANT CYCO

LUCIFER FERE

CAPITAO FANTASMA

DALTON

VOMITO

ULISSES COBARDE E OS HEROIS

ALMA CALMA

O PACTO!

CULATRA

KAPPA 4 QUADRADO AZUL

LOS PAZ D’ALMAS

LOBO MEIGO

A KAUSA

SITIADOS

PRIMUS INTER PARES

ANTI PORCOS

R.I.P.

AMEN, PAX

CONDENACAO PACIFICA

PLUNDER GUNS

JONAS, DER STIL

JOVEM GUARDA

LINHA GERAL

MORITURI

FRAKTURADOS

KU DE JUDAS

CRISE TOTAL

NAPALM CLIMAX

GRITO FINAL

CRUISE

YOUNGSTERS

CROIX SAINTE

URB

7 LEGIAO

 

A HISTORIA POR TRAS DE TUDO:

Site criado & mantido pelos infames MATA-RATOS.Vini Vidi Bebi.

AGRADECIMENTOS:

A ti que - por amor ou odio - perdes o teu tempo com os MATA-RATOS.